Vote Aqui

IBEqui pede inclusão de profissionais do cavalo nos grupos prioritários de vacinação

16 DE ABRIL 2021



Solicitação foi apresentada durante reunião com a Câmara Setorial de Equideocultura do MAPA, que também criou quatro grupos de trabalho e indicou seus membros

Em carta ao presidente da Câmara Setorial de Equideocultura do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), José Carlos Lodi Fragoso Pires, o Instituto Brasileiro de Equideocultura (IBEqui) pleiteou que todos os médicos-veterinários, zootecnistas, engenheiros agrônomos, dentre outras atividades correlatas à economia do cavalo sejam incluídos entre os grupos de prioridade da vacinação contra o coronavírus (Covid-19).

“O setor de equideocultura representa um campo repleto de oportunidades, grande gerador de empregos e potência econômica e social dentro do agronegócio brasileiro. Suas atividades são consideradas essenciais e o cavalo, em especial, tem papel fundamental exercendo funções em diversas áreas, desde a lida no campo, bem-estar animal, segurança pública, inclusive nas forças amadas e até a saúde humana por meio da equoterapia”, explica Manuel Rossitto, presidente executivo do IBEqui. O presidente da Câmara Setorial se comprometeu a repassar com urgência o pedido à ministra Tereza Cristina.

Reunião

Em reunião realizada na tarde da quinta-feira (15/04), a Câmara Setorial de Equideocultura do MAPA, que é composto por representantes de uma variedade de entidades do setor público e privado, indicou os integrantes dos quatro Grupos de Trabalho criados pelo colegiado. O presidente da CS. José Carlos e o do secretário, Antônio Siqueira Assreuy, que reiteraram a importância da criação dos GTs para poderem dar a atenção apropriada aos temas prioritários da Câmara Setorial. Foram criados os Grupos de Trabalho de Saúde Animal, Bem-Estar Animal; Inovações no Turfe; e Inovação e Tributação na Equideocultura. “Sendo constituídas, o próximo passo é agendar a primeira reunião dos quatro grupos o quanto antes, para que possam propor uma agenda, elaborar planos de trabalho e apresentar à Câmara”, explicou.

O presidente aproveitou a reunião para nomear os coordenadores de cada Grupo de Trabalho. Representando o IBEqui, Manuel Rossitto foi escolhido para assumir a coordenação do Grupo de Trabalho de Inovação e Tributação na Equideocultura e César Vilela, consultor técnico, coordenará o de Bem-Estar Animal. Thomas Walter Wolff será o coordenador do GT de Saúde Animal e Antonio Quintela, o de Inovações de Turfe.

“O IBEqui está à disposição da Câmara Setorial para ajudar a estruturar os projetos elaborados por todos os grupos aqui representados, seja no âmbito público ou no privado. Temos especialistas em várias áreas de atuação e estamos prontos para trabalhar juntos em prol da equideocultura no Brasil”, ressaltou Rossitto.

A reunião também contou com uma apresentação sobre “Antidoping – os desafios para se ter e manter um laboratório de nível internacional”, elaborado pela Dra. Mayra Frederico, superintendente da Associação Brasileira dos Proprietários e Criadores de Cavalos de Corrida; Márcia Camargo, coordenadora; e Mirtes Souza, bioquímica sênior, ambas do Laboratório de Controle e Pesquisa Antidoping do Jockey Club de São Paulo.  A representante do MAPA, Eliana Lara Costa apresentou, em seguida, o Protocolo Privado de Quarentena, com sugestões de Thomas Walter Wolff (consultor técnico da Câmara Setorial) e da Dra. Patrícia Brossi (médica veterinária e representante técnica da Associação Brasileira de Criadores do Cavalo Mangalarga Marchador).

Ao final da reunião, o presidente fez questão de esclarecer que toda a equipe técnica do Ministério está à disposição de todos os Grupos de Trabalho.

Voltar

© Instituto Brasileiro de Equidecultura - Todos os direitos reservados